sexta-feira, 31 de julho de 2009

FATOR PREVIDENCIÁRIO: UMA ABERRAÇÃO

O FATOR PREVIDENCIÁRIO REPAGINADO

Publicado na Agência DIAP - Seg, 27 de Julho de 2009 18:49

Meire Lúcia Monteiro Mota Coelho*

Tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei para acabar com o fatídico fator previdenciário, regra criada pelo Governo Fernando Henrique Cardoso, que desde 1999, portanto há dez anos, retarda a concessão e reduz as aposentadorias pagas pelo INSS.

Trata-se do PL 3.299/08, do senador Paulo Paim (PT/RS), apresentado no Senado Federal em 23 de julho de 2003.

A proposição estabelece a volta do cálculo da aposentadoria baseado na média aritmética simples dos últimos 36 salários de contribuição, apurados em período não superior a 48 meses.

Apresentada no Senado Federal como PLS 296/03, a proposição acaba com a redução nos benefícios previdenciários por tempo de contribuição provocada com a aplicação do fator previdenciário.

O projeto foi aprovado simbolicamente no Senado Federal em 9 de abril de 2008, sem portanto, o registro de voto nominal dos 81 senadores.

Tramitação na Câmara

Na Câmara, o projeto de lei foi distribuído e aprovado inicialmente na Comissão de Seguridade Social e Família, na forma do parecer oferecido pelo relator, deputado Germano Bonow (DEM/RS).

A aprovação na Seguridade Social ocorreu no dia 13 de agosto de 2008.

Em seguida, o PL 3.299 foi distribuído à Comissão de Finanças e Tributação, onde aguarda parecer do relator, deputado Pepe Vargas (PT/RS).

Membro da base de apoio ao Governo na Câmara, o parlamentar tende a apresentar um substitutivo que minimiza os efeitos negativos do fator sem, contudo, acabar com a regra que reduz em mais de 30% o valor das aposentadorias.

Negociação e urgência

A necessidade de ampliar a discussão do tema é baseada no fato de a matéria ser relevante e busca corrigir um dispositivo que não alcançou, na prática, os objetivos para os quais foi instituído e que atualmente penaliza aos trabalhadores do Regime Geral da Previdência Social, no momento da aposentadoria.

A matéria é polêmica e enfrenta resistência de aprovação por parte do Governo, que não quer simplesmente acabar com o fator sem que haja um limitador para as aposentadorias dos trabalhadores, muitas delas, no entendimento do Ministério da Previdência, precoces.

Fórmula 95

Uma das alternativas propostas para amenizar a regra do fator previdenciário, já que a eliminação do redutor das aposentadorias está descartada, é a chamada fórmula 95.

A fórmula consiste em não aplicar o fator previdenciário quando a soma da idade do segurado com o tempo de contribuição for igual ou maior que 95, para homem, e 85, para mulher - considerando que o tempo mínimo de contribuição é de 35 anos (homem) e 30 anos (mulher).

Caso a soma seja inferior ao valor estipulado, o aposentado continua sob as regras do fator previdenciário, portanto, tendo no cálculo da sua aposentadoria a aplicação do redutor do benefício.

A versão inicial do substitutivo proposto pelo deputado Pepe Vargas garante também ao segurado requerer a aposentadoria ao atingir o tempo mínimo de contribuição sem a exigência de idade mínima para se aposentar.

Assegura também vantagens caso o aposentado permaneça na ativa e a soma da idade e do tempo de contribuição exceda a fórmula 95.

O parlamentar propõe ainda a manutenção da regra atual referente ao Período Básico de Cálculo do salário de benefício, ou seja, a média aritmética dos 80% dos melhores salários de contribuição, aferidos num período que remonta ao início do Plano Real - julho de 1994.

Garantia de sanção

Ao defender o substitutivo, o relator pondera que a alternativa é a garantia mínima de que o governo não irá vetar uma proposta discutida e aprovada pelo Congresso. O Governo aceita discutir alternativas, mas não concorda com o fim do fator previdenciário.

O principal argumento contrário do Governo ao fim da extinção do fator previdenciário é de que haverá um rombo nos cofres públicos, pois o fator foi criado como alternativa de controle de gastos da Previdência Social, de forma a assegurar a redução no valor dos benefícios de maneira inversamente proporcional à idade de aposentadoria do assegurado.

Pela nova regra proposta, o trabalhador tende a ficar 4 anos e meio a mais contribuindo, para se aposentar com o valor integral.

Para ser sancionado e transformar-se em lei, o projeto precisa ser aprovado nas comissões de Finanças e Tributação, e de Constituição e Justiça e de Cidadania, bem como no plenário.

Caso seja modificado na Câmara, a matéria deverá passar por nova apreciação no Senado.

Por que os trabalhadores são contra o fator

O primeiro argumento é que esse mecanismo (fator previdenciário) não foi criado para retardar o pedido de aposentadoria, mas simplesmente para que o INSS gastasse menos com os segurados.

A Constituição garante aposentadoria aos 35 anos de contribuição (homem), 30 anos (mulher e professor de educação básica) e 25 anos (professora de educação básica).

Pelos cálculos já atualizados com a expectativa de vida de 2008 e considerando que uma pessoa tenha começado a contribuir para o INSS aos 18 anos, só recebe a aposentadoria integral quem trabalhar por 46 anos (homem); 41 (mulheres) e 36 anos (professoras de educação básica).

Em razão da grande diferença entre o que garante a Constituição e o que impõe a regra do fator, ninguém retarda a aposentadoria. Simplesmente, o trabalhador se aposenta com um benefício com valor muito abaixo do que contribuiu durante a vida.

Antecedentes históricos

Consolidado na Lei 9.876, o fator previdenciário teve origem no PL 1.527/99.

No Senado, tramitou como PLC 46/99. Parte integrante da reforma da Previdência do Governo Fernando Henrique Cardoso, o fator traduz-se em uma regra matemática aplicada ao cálculo da aposentadoria por tempo de contribuição que reduz o valor do benefício a que tem direito o trabalhador.

Definido por quatro variáveis: idade, tempo de contribuição, percentual de contribuição e expectativa de vida do trabalhador no momento da aposentadoria, o fator é responsável por uma redução de mais de 30% dos benefícios previdenciários para os homens e de mais de 35% para as mulheres.

A lógica do fator, portanto, consiste na redução da aposentadoria sem a contrapartida de diminuição das contribuições.

O trabalhador continua recolhendo até o limite de 11% de seu salário, sem a garantia expressa de uma aposentadoria que corresponda à média integral das contribuições efetuadas.

A despeito da necessidade de adequar o sistema previdenciário aos impactos atuariais e financeiros da evolução demográfica, há dez anos, o fator previdenciário contém despesas da Previdência Social, principalmente com as aposentadorias por tempo de contribuição, mediante a redução do seu valor ou o retardamento de sua concessão.

Também corrobora para a redução constante do benefício previdenciário o fato de que todos os anos, no mês de dezembro, o IBGE divulga nova tabela de sobrevida, que é a base de cálculo do fator.

Como os dados do instituto, a cada ano apontam uma contínua elevação do tempo médio de vida dos brasileiros, conseqüentemente, o valor das aposentadorias sofre considerável redução anualmente.

Separação das contas da previdência urbana e da previdência rural

Além da fórmula 95, o Substitutivo do deputado Pepe Vargas estabelece a separação das contas da previdência rural e da previdência urbana.

A separação dessas contas permitirá, futuramente, ao Governo, o aperfeiçoamento da previdência urbana, com a implantação do Fundo previsto no artigo 250 da Constituição e artigo 68 da Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar 101, de 4/05/2000), a ser gerido, tripartidamente, pelo Governo, empregadores e trabalhadores.

Esse Fundo receberá as contribuições previdenciárias e financiará as despesas relativas aos benefícios concedidos aos segurados. Os recursos desse Fundo poderão ser aplicados no mercado financeiro, como determina a lei, ao invés de permanecerem no caixa do Tesouro Nacional, sem propiciar qualquer rendimento à Previdência Social.

A separação das contas referentes a tais clientelas ensejará também a reclassificação, para a área da assistência social, da atual previdência rural, que, por todas as razões, deve ser financiada pelo conjunto da sociedade brasileira (através da receita da Cofins e da CSLL ou outra fonte), até que o desenvolvimento sócio-econômico de nosso País proporcione a solução natural e definitiva para essa tormentosa questão.

Afinal, a assistência social, como prevê o artigo 203 da Constituição, deve ser "prestada a quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social".

Média longa

O substitutivo também prevê uma média de cálculo longa dos 70 melhores salários de contribuição e propõe o congelamento da expectativa de sobrevida quando o segurado atingir 35 anos de contribuição, se homem e 30, se mulher.

É também sugerida a definição em lei de uma forma de apresentação dos resultados do Regime Geral da Previdência, dando transparência às suas fontes de financiamentos e de despesas.

Por fim, a matéria se encontra na Comissão de Finanças e Tributação, e qualquer proposta alternativa necessita de adequação orçamentária.

(*) Presidente da Associação Nacional dos Procuradores Federais da Previdência Social (Anpprev)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

MALANDRAGENS: PRINCIPAIS COMBUSTÍVEIS DO MEIO POLÍTICO E DAS BOLSAS DE VALORES

ALTA MALANDRAGEM: ASSIM FUNCIONAM TANTO A POLÍTICA COMO A ECONOMIA!

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA INSTABILIDADE DO MERCADO MUNDIAL?

VOCÊ SABE O QUE SEJA UMA BOLSA DE VALORES?

E GOSTARIA DE ENTENDER AS EXPRESSÕES "HEDGE", "SUB-PRIME", "HIPOTECAS" E "VOLATILIDADE DE CAPITAIS"?

A bem da verdade, para entender de tudo isto é importante desconhecermos completamente o que seja: lógica, ética, moral, prudência, honestidade e outros atributos que também são desnecessários aos políticos que hoje atuam no cenário nacional.

Em se tratando, porém, da necessidade que todos temos de precavermos, tanto em relação aos banqueiros, como aos nobres congressistas, é sempre muito prudente entendermos como funciona essa química no âmbito de uma bolsa de valores, para também compreendermos a mágica que existe na suntuosidade de um parlamento.

No, entanto, será quase impossível escrever sobre este assunto, sendo muito melhor ouvirmos as explicações de um gênio que atua no ramo, como é o caso do conteúdo do vídeo que hoje publicamos sobre o assunto em pauta, que você poderá assistir através do BLOG DE GERALDO MOTA (acesse pelo GOOGLE ou pelo link abaixo).

É assim que ambas as sabedorias, artimanhas ou malandragens, tidas e havidas como ciências (política e economia) de fato funcionam: confira no vídeo.

"Às vezes, entre um homem e outro existe tanta diferença como entre um homem e um animal."
( Baltasar Gracián )

geraldo mota
http://geraldomotacoelho.blogspot.com/

ALTA MALANDRAGEM: ASSIM FUNCIONAM TANTO A POLÍTICA COMO A ECONOMIA!

QUAIS SÃO AS CAUSAS DA INSTABILIDADE DO MERCADO MUNDIAL?


VOCÊ SABE O QUE SEJA UMA BOLSA DE VALORES?



E TAMBÉM GOSTARIA DE ENTENDER AS EXPRESSÕES "HEDGE", "SUB-PRIME", "HIPOTECAS" E "VOLATILIDADE DE CAPITAIS"?

A bem da verdade, para entender de tudo isto é importante desconhecermos completamente o que seja: lógica, ética, moral, prudência, honestidade e outros atributos que também são desnecessários aos políticos que hoje atuam no cenário nacional.


Em se tratando, porém, da necessidade que todos temos de precavermos, tanto em relação aos banqueiros, como aos nobres congressistas, é sempre muito prudente entendermos como funciona essa química no âmbito de uma bolsa de valores, para também compreendermos a mágica que existe na suntuosidade de um parlamento.


No, entanto, será quase impossível escrever sobre este assunto, sendo muito melhor ouvirmos as explicações de um gênio que atua no ramo, como é o caso do conteúdo deste vídeo que hoje publicamos sobre o assunto em pauta.


É assim que ambas as sabedorias, artimanhas ou malandragens, tidas e havidas como ciências (política e economia) de fato funcionam:



video

terça-feira, 28 de julho de 2009

IGREJA DE NOSSA SENHORA DO AMPARO DE MINAS NOVAS


PARABÉNS AO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS!

PARABÉNS AO IEPHA-MG!!!

A Igreja de Nossa Senhora do Amparo dos Homens Pardos de Minas Novas, que em meados do século 19 foi construída sob a liderança do Cônego José Pacífico Peregrino de Melo e Silva, que também foi Senador do Império, depois de décadas relegadas às ruínas e ao descaso da diocese, da paróquia e da prefeitura, passou por criteriosa e admirável restauração em todos os seus detalhes originais, retomando o seu brilho e esplendor, sob os cuidados e a competência dos técnicos do IEPHA-MG e desde o dia 09 de julho está reaberta para a embevecimento dos minasnovenses e visitantes.



ALELUIA!!! ALELUIA!!!

Até que enfim temos boas notícias sobre a nossa MINAS NOVAS!

Será sempre com muito orgulho, grande alegria e o maior carinho que o meu BLOG divulgará tudo o que for positivo e de bom para MINAS NOVAS e para o nosso querido povo. Afinal tem sido justamente o contrário, já por muitos anos, que as circunstâncias obrigam-nos a anunciar o que não esteja de acordo com o nosso espírito e o nosso amor pela saudosa terra onde nascemos e vivemos toda nossa infância.

MINAS NOVAS é, sem dúvida alguma, uma cidade que, apesar do abandono a que esteve relegada durante mais de 150 anos e submetida a todo tipo de sofrimento e exploração por parte de maus políticos e de filhos ingratos que não merecem a nossa consideração, tem uma história linda, um acervo cultural invejável, um conjunto de tradições e de valores artísticos incalculáveis que mesmo a sanha destrutiva dos iconoclastas, traduzida na irresponsabilidade dos chefetes locais não conseguiram destruir. Exemplo do que afirmo é a restauração da Igreja do Amparo, cuja preservação foi várias vezes postergada, inviabilizada e ameaçada pela implicância, pelo descaso e pela omissão das lideranças a quem caberia o dever de zelar pelo nosso patrimônio histórico.

A belíssima e apropriada intervenção nesse monumento histórico, que foi brilhantemente conduzida pelos técnicos do IEPHA-MG (um orgão estadual) justamente pelo acerto criterioso de projetos, planilhas, custos e pela honesta condução administrativa em todas as etapas da grandiosa obra, bem demonstra o quanto tem sido dúbia, suspeita, corrompida e imprópria a aplicação de fábulas de dinheiro do governo federal que já foram gastas pelo IPHAN em nome da recuperação de outros monumentos como a Igreja de São José, o Sobradão e o Solar do Largo das Cavalhadas, este último um imóvel histórico da maior importância para a memória nacional, pois pertenceu ao Inconfidente Domingos de Abreu Vieira e foi a Pousada de Joaquim José da Silva Xavier quando de suas andanças pela Vila do Fanado, na condição de tropeiro, mascate e protético, antes de ser conhecido com Tiradentes, pelo que deveria essa imponente casa ser utilizada para sediar um museu, uma biblioteca ou uma escola, mas que, em afronta ao bom senso, em desrespeito à lei e sem a necessária contrapartida social devida ao erário público, ali funciona as dependências da Rádo Bonsucesso, que é uma empresa lucrativa de propriedade do ex-senador biônico Murilo Badaró.

Já está passando da hora de uma verificação mais rigorosa na aplicação desses recursos federais que têm sido gastos na recuperação, na restauração e na manutenção desses monumentos do município de Minas Novas, os quais nem sempre se apresentam bem cuidados, devendo-se, pois, em virtude dos desvios que são claros e escandalosos, serem requeridas as necessárias providências junto aos Ministérios Públicos, aos Tribunais de Contas do Estado e da União, para que se façam URGENTES AUDITORIAS e outras ações de curadoria, para que estes bens públicos também passem a ser entregues, zelados e colocados ao serviço dos interesses coletivos, sempre com maior competência e que os recursos a eles alocados sejam de fato administrtados com a regularidade desejada, tendo-se por critério a moralidade da coisa pública e a necessidade de verificação dos retornos sociais dessas aplicações financeiras que têm origem na arrecadação dos sofridos impostos que são pagos pelo povo e que, ao contrário do que parece, não são sustentados pelas algibeiras corruptas de aproveitadores e demagogos que exploram estes bens culturais.


geraldo mota
http://geraldomotacoelho.blogspot.com/

ITAMARANDIBA (MG) - PENHA DE FRANÇA

TRADIÇÃO E FÉ NA CENTENÁRIA COMUNIDADE DO DISTRITO DE PENHA DE FRANÇA - Festa de Nossa Senhora da Penha e do Divino Espírito Santo

O distrito de Penha de França, localizado a 38 quilômetros de Itamarandiba, é um dos maiores celeiros culturais do Vale do Jequitinhonha. Essa afirmação pôde ser testemunhada nos dias 24, 25 e 26 de julho, datas em que o distrito realizou a tradicional Festa de Nossa Senhora da Penha e do Divino Espírito Santo.

Vários itamarandibanos e turistas puderam assistir a habitual queima de fogos, busca da bandeira e o espetáculo de várias fogueiras pelas ruas centenárias. O cortejo típico, este ano mesclou o luxo da Corte Portuguesa com a beleza e mistérios da raça negra, homenageando nossos irmãos escravos vindos da África.

Danças típicas em todos os cantos, marujadas, banda de música, o repicar de sinos e a exuberante procissão com os andores de Nossa Senhora da Penha e do Divino Espírito do Santo fizeram da festa um marco da cultura; enchendo os corações de penhenses e visitantes de emoção, comoção e alegria, trazendo a certeza aliada à esperança de voltar novamente no ano que vem.

Parabéns a Comunidade de Penha de França e a Prefeitura Municipal de Itamarandiba, através da Secretaria de Cultura, pela parceira de sucesso e por fazer e oferecer ao povo um banho de cultura, tradição e fé!

Secretaria M. Cultura ASCOM

Prefeitura Municipal de Itamarandiba

--------------------------------------------

OBSERVAÇÃO DO BLOG:
Há muito tenho acompanhado o trabalho do produtor cultural ADÃO DOMINGOS RAMALHO COELHO não sendo surpresa, para mim, o seu grande sucesso como Secretário Municipal de Cultura. Tenho a mais segura convicção de que, com a experiência e a capacidade produtiva de Adão Domingos, o município de Itamarandiba muito se beneficiará com os projetos do atual prefeito TOM COSTA cuja orientação é a de resgatar, valorizar e incentivar a cultura, em todos os segmentos, viabilizando o aproveitamento desses potenciais em benefício, também, da economia, através do TURISMO.

Aliás o município de Itamarandiba, pela sua tradição cultural e grande importância nos cenários histórico e econômico de Minas Gerais, tem toda uma vocação para se inserir no roteiro e no calendário turístico de nosso Estado, pela abundância e riqueza de seus eventos, a exemplo da recente Exposição Agropecuária e dos Festejos Populares como o que agora registramos.














From: Ernane Frois <ernane.ascomita@yahoo.com.br>
Date: 2009/7/28

Subject: Festa de Nossa Sra. da penha e do Divino Espirito Santo -

Mais um grande sucesso com o apoio da Administração TOM COSTA. É certo e notório que a colaboração do Exmo. Prefeito, juntamente com a equipe da Secretaria Mun. de Cultura, enriqueceu ainda mais a já tradicional Festa de Nossa Senhora da Penha e do Divino Espírito do Santo.

Ernane Frois - JP:11.641/MG

Ascom - Prefeitura M. Itamarandiba

segunda-feira, 27 de julho de 2009

PLATAFORMA FREIRE - ATENÇÃO SRS. PROFESSORES!!!

Todos sabemos que a maior parte dos problemas sociais como a fome, a miséria, a criminalidade, a prostituição, o tráfico de drogas, o analfabetismo e outras mazelas são resultados da irresponsabilidade política de maus brasileiros que durante muito tempo controlam seus municípios, seja como prefeito, vice, vereador ou como deputado, de forma a manter o eleitorado ignorante e fácil de ser manobrado à distância, governando seus redutos como se estes fossem fazendas ou "currais eleitorais". Esta é uma triste realidade que ainda existe, principalmente no Nordeste Brasileiro e em algumas cidades do Vale do Jequitinhonha, onde vigora o poder de antigos coronéis do voto, aos quais não interessam o desenvolvimento urbano, o progresso econômico e nem a paz social.
-
Em algumas dessas cidades as informações são manipuladas, não só através de maciça programação de rádio, mas pela manutenção de sistemas controladores de mídia que impedem o acesso a outras emissoras de rádio e de TV, filtrando as notícias que possam facilitar a vida da população ou beneficiar setores que não sejam de interesse das ditas "lideranças".
=
Assim sendo, enquanto a plena democracia ainda não chegou àquelas regiões, torna-se necessária a nossa contribuição no sentido de que informações como as que se seguem, logo abaixo, cheguem a um número maior de professores que não têm acesso aos computadores de suas escolas, ou porque ficam essas ferramentas de trabalho trancadas em sala ou na casa da diretora, ou porque os funcionários não receberam qualquer treinamento de informática ou mesmo porque não têm qualquer orientação ou incentivo em suas carreiras para, assim, continuarem desinformados, improdutivos e atrasados conforme é o desejo do eterno chefe político local.
-
Conclamo, pois, aos leitores deste BLOG, que também colaborem nessa divulgação e faça essa notícia chegar ao maior número de pessoas interessadas, pois somente através da EDUCAÇÃO é que poderemos encontrar os caminhos do desenvolvimento para regiões como a nossa, onde temos a tristeza de constatar situações calamitosas a impedir a melhoria dos índices de desenvolvimento.
-
Infelizmente temos notícias terríveis, como é o lamentável descaso que está ocorrendo em MINAS NOVAS onde até mesmo o CVT, um serviço instituido e mantido pelo Governo Federal está praticamente desativado, com o seu funcionamento comprometido por questões administrativas e completamente desvirtuado de suas funções, tornando-se ponto preferencial de usuários de serviços que comprometem o seu potencial como instrumento auxiliar da educação e da cultura.
-
Os Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) são unidades de ensino e de profissionalização, voltados para a difusão do acesso ao conhecimento científico e tecnológico, conhecimentos práticos na área de serviços técnicos, além da transferência de conhecimentos tecnológicos na área de processo produtivo.
-
Os CVTs estão direcionados para a capacitação tecnológica da população, como uma unidade de formação profissional básica, de experimentação científica, de investigação da realidade e prestação de serviços especializados, levando-se em conta a vocação da região onde se insere, promovendo a melhoria dos processos, pelo que se espera, das autoridades competentes, a apuração dos desvios, a punição dos responsáveis e URGENTE regularização desse importante serviço público, principalmente numa cidade onde são alarmantes os índices de criminalidade e visivelmente crescentes o consumo e o tráfico de drogas proibidas, cujas práticas se concentram no âmbito de algumas dessas repartições.

Plataforma Freire: passo a passo

Terça, 30 de Junho de 2009 15:39

A Plataforma Freire, criada pelo Ministério da Educação, é a porta de entrada dos professores da educação básica pública, no exercício do magistério, nas instituições públicas de ensino superior. Ao mesmo tempo em que coloca em prática o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, a plataforma homenageia o educador brasileiro Paulo Freire.

É na Plataforma Freire que os professores vão escolher as licenciaturas que desejam cursar, fazer inscrição, cadastrar e atualizar seus currículos. Construída para ser uma ferramenta de fácil acesso do professor, a Plataforma Freire também é informativa. Os docentes vão encontrar uma série de dados, entre eles, as tabelas com a previsão de oferta de cursos, as instituições, as modalidades de cursos para o período 2009 a 2011.

Para aproveitar todas as informações disponíveis na Plataforma Freire, o professor precisa fazer um cadastro. Entra na plataforma e clica em primeiro acesso, preenche dados, como o CPF e nome completo, cadastra uma senha (com quatro letras e dois números) e informa o e-mail (se não tiver e-mail, a plataforma tem um campo para criá-lo).

Feito isso, o professor retorna à tela principal e clica em já sou cadastrado, informa CPF e senha e clica em autenticar, então aparece a tela principal da plataforma. Entre a série de ícones informativos, ele vai encontrar o currículo do professor.

Como cadastrar o currículo - Quando clicar em currículo do professor vai aparecer o nome do docente (que fez aquele cadastro inicial). Nesse espaço, ele pode inserir uma foto. No campo seguinte, vai descrever, em poucas linhas, um resumo do currículo (formação, experiências). Salva as informações e passa para o campo seguinte, onde vai detalhar sua formação acadêmica e complementar; no próximo espaço, vai informar sobre a atuação profissional (escolas em que trabalhou e trabalha, as disciplinas, as etapas de ensino); no outro espaço, vai descrever projetos que tenha desenvolvido na escola; nos próximos campos são pedidas informações sobre produção de textos, publicações culturais ou técnicas, participação em congressos e seminários, prêmios e títulos, idiomas, participação em bancas examinadoras e de orientação.

Escolha de cursos - Depois de cadastrado, o professor deve consultar o ícone previsão de oferta de cursos. Ali, ele encontrará tabelas com a projeção da oferta de cursos, por estado, para os anos de 2009 a 2011. Depois de verificar os cursos disponíveis - para o segundo semestre de 2009, são 54 mil -, o professor pode fazer a pré-inscrição no curso que deseja fazer. Primeiro, seleciona o estado e a área do conhecimento. Feito isso, a plataforma informa a relação de cursos disponíveis (presenciais e a distância). Então, faz a pré-inscrição. Pode fazer até três opções de cursos.

Passo seguinte - A plataforma manda à secretaria estadual ou municipal de educação todas as pré-inscrições de professores. É a secretaria que vai validar a inscrição, autorizar a participação do professor e enviar o nome dele para a universidade que dará o curso.

Professor acompanha a pré-inscrição - Com a senha e o CPF cadastrados, o professor acompanha o andamento da sua pré-inscrição diretamente na Plataforma Freire.

Quatro atores - Para executar o Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica, a Plataforma Freire conta com quatro atores: o professor que indica o curso que deseja fazer; a secretaria estadual ou municipal que valida a inscrição e autoriza a participação no curso; a rede de instituições públicas de ensino superior que matricula e faz a formação; e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que coordena todo o processo e avalia a qualidade.

Confira (clicando com o mouse) a coletiva do Ministro Fernando Haddad sobre a Plataforma Paulo Freire.

(Assessoria de Comunicação do MEC)



CLIQUE NO LINK ABAIXO, COM SEU MOUSE, PARA ACESSAR AS INFORMAÇOES DETALHADAS:

Plataforma Freire: passo a passo
Plataforma Freire: passo a passo

Assessoria de Comunicação do MEC)

Plataforma Freire: passo a passo


http://geraldomotacoelho.blogspot.com/

sábado, 25 de julho de 2009

Fique por dentro....

Correspondente da Rádio Itatiaia trabalha para Azeredo.

A repórter Aparecida Ferreira, correspondente da Rádio Itatiaia em Brasília, presta efetivamente serviços ao gabinente do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG). De acordo com a assessoria de imprensa, ela é responsável pelo material enviado às rádios pelo parlamentar e dá expedientes regulares no gabinete. Além disso, Cidinha Ferreira, como ela é conhecida, ajuda na elaboração de discursos do senador, de um boletim informativo e presta consultoria.
-
O caso é bem diferente do da jornalista Leid Carvalho que, embora tenha sido contratada pelo gabinete do atual ministro das Comunicações no Senado, declarou que jamais prestou nenhum tipo de serviço a Hélio Costa (PMDB-MG) (clique aqui para ler o post anterior).
-
Cida Ferreira diz que a emissora tem pleno conhecimento de sua vida profissional e não vê impedimentos éticos da duplicidade de funções. "Eu comuniquei a direção da rádio e me autorizaram a trabalhar prestando assessoria de imprensa". Segundo ela, essa é uma situação determinada "pelos baixos salários de alguns segmentos do jornalismo brasileiro".
-
Ex-repórter da Itatiaia admite que era fantasma involuntária no Senado.
-
A jornalista Leid Carvalho confirmou que esteve lotada no gabinete do senador Hélio Costa enquanto atuava como correspondente da Rádio Itatiaia em Brasília, conforme noticiou em primeira mão este Blog. Ela me contou agora há pouco que jamais prestou qualquer tipo de serviço para Hélio Costa. "Eu mantinha com o senador uma relação normal, de repórter e fonte", diz a jornalista, que hoje é sócia de duas emissoras no interior de Minas Gerais.
-
De acordo com Leid Carvalho, a nomeação para o gabinete do atual Ministro das Comunicações no Senado foi feita por ordem da diretoria da Rádio Itatiaia. Sem dar detalhes, ela afirmou que a emissora foi quem providenciou inclusive a parte burocrática. "Eles tinham todos os meus documentos lá". A ordem, segundo ela, partiu de um dos diretores da rede de rádio, que Leid preferiu não nominar.
-
Eu sabia que havia alguma coisa muito errada. Foi por isso que decidi pedir demissão e sair de Brasília", afirma Leid. "Sempre tive uma pulga atrás da orelha. Sabia que uma hora isso viria a público". É a primeira vez, desde que surgiram denúncias de nomeações por atos secretos, que aparece uma suspeita de que empresas privadas com influência política regional podem estar sendo beneficiadas por nomeações irregulares.
-
Blog tentou, mas não conseguiu, localizar o ministro da Comunicações neste domingo. Hélio Costa não é o único parlamentar mineiro que nomeou jornalistas que atuam como repórteres políticos em Brasília. Outra profissional da mesma rede aparece entre os nomeados do gabinete do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG).-

Escrito por Fábio Pannunzio Seg, 22 de Junho de 2009 13:33

Hélio Costa: correspondente da Itatiaia era assessora de imprensa.

O Ministro das Comunicações, Hélio Costa, confirmou a contratação da jornalista Leid Carvalho, correspondente da Rádio Itatiaia em Brasília. Mas, ao contrário do que afirmou a própria ex-repórter ao Blog, o ministro diz que ela tinha funções em seu gabinente no Senado. E-mail enviado pela assessoria afirma que "a nomeação de Leid Carvalho nada tem a ver com a Rádio Itatiaia. A jornalista foi contratada pela competência profissional comprovada". Na noite de ontem, em ligação telefônica gravada, Leid afirmou ao Blog que nunca teve nenhuma relação profissional com o então senador por Minas Gerais, e que a contratação foi determinada por um diretor da emissora.
-
A assessoria de imprensa ressaltou que "o trabalho da jornalista consistia em gravar releases radiofônicos (spots) sobre a atividade parlamentar do senador para serem distribuídas às rádios mineiras". Pela versão do ministério, "com a nomeação de Hélio Costa para o Ministério das Comunicações, e seu licenciamento do Senado, a jornalista permaneceu como assessora parlamentar do gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG), suplente de Hélio Costa". Leid foi contratada em 31 de julho de 2003. Hélio Costa assumiu a pasta das Comunicações exatos dois anos depois.

Wellington Salgado desmente Hélio Costa

O senador Wellington Salgado (PMDB-MG) desmentiu agora há pouco a versão apresentada pelo Ministério das Comunicações para a contratação da jornalista Leid Carvalho. Leid era correspondente da Rádio Itatiaia em Brasília e afirmou ao Blog que esteve "lotada" no gabinete do então senador Hélio Costa, mas que não exercia nenhuma função. A contratação teria se dado por indicação de um diretor da rede mineira para complementar o salário da jornalista.
Por e-mail, a assessoria de imprensa do Ministério das Comunicações informou que o trabalho de Leid, ao contrário do que ela mesma havia declarado ao Blog, "consistia em gravar releases radiofônicos (spots) sobre a atividade parlamentar do senador para serem distribuídas às rádios mineiras". No mesmo e-mail, a assessoria de imprensa do ministro informou que "com a nomeação de Hélio Costa para o Ministério das Comunicações, e seu licenciamento do Senado, a jornalista permaneceu como assessora parlamentar do gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG), suplente de Hélio Costa".
Contrariando o que os assessores do ministro afirmaram, Wellington Salgado reagiu com surpresa ao ser indagado sobre a existência da pretensa "assessora". Reproduzo o diálogo que mantive agora há pouco com ele, por telefone.
- O sr. teve uma assessora chamada Leid Carvalho ?
- Quem ?
- Leid Caravalho.
- Assessora de que ?
- Assessora de imprensa, pra cuidar de spots de rádio.
- Eu não tenho assessor de imprensa. Nunca tive.
- Ela nunca trabalhou no seu gabinete ?
- Eu não sei quem é essa pessoa. Quando precisei de serviços pra rádio tive que contratar uma pessoa e pagar por fora, do meu bolso. Não, com certeza essa pessoa nunca trabalhou no meu gabienete, não.


Leia, abaixo, a íntegra do e-mail enviado pela assessoria de imprensa do Ministério das Comunicações.

Caro Fábio,
Conversei com o ministro Hélio Costa. Ele confirma que a jornalista Leid Carvalho foi nomeada assessora parlamentar (categoria AP6) do seu gabinete no Senado Federal pelo Ato do Diretor Geral nº 4460 de 31 de julho de 2003, publicado na página 2 do Boletim de Administração do Senado Federal nº 2806, em 1 de agosto de 2003.
Leid Carvalho foi exonerada pelo Ato do Diretor Geral nº 749, de 31 de julho de 2008, publicado na página 2 do Boletim de Administração do Senado Federal nº 2806, em 1 de agosto de 2008.
O trabalho da jornalista consistia em gravar releases radiofônicos (spots) sobre a atividade parlamentar do senador para serem distribuídas às rádios mineiras. Com a nomeação de Hélio Costa para o Ministério das Comunicações, e seu licenciamento do Senado, a jornalista permaneceu como assessora parlamentar do gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG), suplente de Hélio Costa.
O ministro esclarece também que a nomeação de Leid Carvalho nada tem a ver com a Rádio Itatiaia. A jornalista foi contratada pela competência profissional comprovada.
Um abraço,
Simone Garcia
Chefe Assessoria de Comunicação Social
Ministério das Comunicações

Outra repórter da Itatiaia está lotada no Senado.

A repórter Gabriela Speziali, correspondente de Brasília para a Rádio Itatiaia, também tem um emprego no Senado da República. Ela está lotada no Gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG) desde o fim do ano passado.
O ato de número 2652 foi publicado no dia 02 de dezembro, período que coincide com a contratação da jornalista pela rede de emissora de rádio de Minas Gerais.
No gabinete de Wellington, que é suplente do ministro das Comunicações, Hélio Costa, ninguém sabe quem é Gabriela -- "Gabriela o quê?", pergunta a secretária de gabinete. "Não é daqui não".
O senador Wellington Salgado, em entrevista concedida a este Blog, disse no começo da tarde que nunca teve assessor de imprensa e nem assessores encarregados do serviço de rádio do gabinete.
Procurada pelo Blog, Gabriela Speziali confirmou que estava lotada no gabinete do parlamentar e pediu cinco minutos para voltar a falar com a reportagem. O tempo passou e ela não retornou. Agora, nem atender o telefone ela atende mais.
Também tentamos contato por diversas vezes com a diretoria de jornalismo da Rádio Itatiaia mas, até agora, ninguém se pronunciou sobre o assunto

Repórter da Itatiaia não aceita rótulo de "fantasma".

A repórter Gabriela Speziali, da Rádio Itatiaia, não aceita ser rotulada como fantasma. "Eu trabalho muito. Já vivi em vários países", diz a jornalista, indignada com a manchete deste Blog.
Gabriela foi nomeada para o gabinete do senador Wellington Salgado no dia 2 de Dezembro passado, dois meses depois de chegar a Brasília. Desde então acumula as funções de correspondente e assessora parlamentar, em situação análoga à de todos os seus colegas na sucursal brasiliense da rede de rádio mineira.
"Você não pode me confundir. Há pessoas e pessoas" , diz, em tom indignado, fazendo uma comparação entre o caso dela e o da jornalista Leid Carvalho, ex-correspondente da mesma emissora que admitiu jamais ter prestados serviços ao senador Hélio costa.
A equipe do Blog tentou contatar a repórter durante a tarde de hoje. Foram disparados vários telefonemas. Duas vezes ela atendeu. A mim, pediu quinze minutos, dizendo que ligaria de volta. A pergunta era clara: o que você faz no gabinente do senador Wellington Salgado ?
A repórter Fernanda Muylaert repetiu a mesma tentativa seis vezes. Gabriela ficou de retonar em cinco minutos e parou de atender aos telefonemas. Conseguimos estabelecer contato com ela depois de quase duas horas.
As explicações fornecidas pela correspondente mudaram conforme as conversas avançavam. Primeiro, ela me disse que trabalhava como assessora de imprensa do senador. Depois, falou que fazia gravações de peças de rádio. Confrontada com a informação de que o próprio senador havia negado ter, desde sempre, assessoria de imprensa ou um profissional encarregado do veículo rádio, a versão foi mudando.
"Eu faço textos em formas de release que alimentam um bancos de dados", assegura Gabriela. Pergunto se os releases são publicados em algum lugar. "Não", diz ela, categoricamente. "É um material produzido para a campanha". Campanha de quem ? Ao que se saiba, Wellington não é candidato -- é candidato a suplente de Hélio Costa, de que sem ufana de ter patrocinado a última campanha que, por vias trasnversas, o transformou em senador da República.
Pergunto à minha colega porque ninguém a conhece no gabinete onde está lotada. "Eu não cumpro expediente. Pra ser assessora não tem que bater ponto", diz ela. É um argumento razoável, com o qual concordo. Não precisa ir regularmente. Mas a ponto de ninguém ter a menor noção de quem é ela, que hipoteticamente trabalha no tal gabinete há mais de meio ano ?
A próxima indagação é sobre a rotina que justifica o salário de assessora parlamentar. "Quantas horas por dia você se ocupa de atividades do gabinete ?". Gabriela não tem uma resposta pronta. Pergunto, então, se todos os dias ela dedica algum tempo à função. "Todo dia, não. Mas eu tenho uma rotina de trabalho", diz ela.
Gabriela está preocupada e eu entendo sua ansiedade. Deve ser uma jovem repórter com muitos predicados. Não duvido de que ela trabalhe muito, como declara. Deve ser uma pessoa valorosa em busca de uma oportunidade séria na Capital da República. Oportunidade que ainda não encontrou. É muito difícil entender releases que não são publicados, versões que vão se adaptando aos argumentos da contradita, explicações que não parecem plausíveis diante do contexto inquestionável que dá conta de que todos os correspondentes de uma mesma cadeia de rádio estão sujeitos aos mesmos vícios éticos.
Mas estas podem ser conclusões apressadas. Enviei a Gabriela um questionário que ela se dispôes a responder. Comprometi-me a publicar na íntegra as respostas. E assim será. Não acho que ela esteja desprovida de qualquer qualidade que diga respeito ao caráter, ao respeito pela própria profissão, nada disso. Acho apenas que ela é vítima de uma condição muito parecida com a dos jornalistas do anos 50, que ganhavam uma miséria e tinham a autorização expressa dos patrões para encontrar outro meio de vida.
Nesse caso, jornalistas são vítimas. Mesmo quando aparentemente adquirem vantagens.
Escrito por Fábio Pannunzio Ter, 23 de Junho de 2009 01:04

Resposta de Leid Carvalho à matéria do Blog.

Esclarecimentos:

Jamais disse que era "fantasma involuntária" do gabinete do senador Hélio Costa, aliás muito ao contrário, admiti que trabalhei no gabinete.
Afirmei que não era assessora de imprensa nos moldes que você me questionou, porque meu trabalho para o Senador consistia em gravar matérias radiofônicas e enviar para as rádios de cidades do interior de Minas Gerais.
Disse que mantinha relação profissional com o Senador enquanto era correspondente da rádio Itatiaia em Brasília, empresa pela qual mantenho profundo respeito e admiração. Sou grata ao senador Hélio Costa que sempre me tratou com muita ética, respeito e dignidade.
Meus diretores sabiam desta contratação, pois nunca impediram repórteres de fazerem outros trabalhos que não tivessem conflito ético, como o descrito acima.
Lembra que no início da conversa você tentando me atualizar sobre os últimos acontecimentos afirmou que "Brasília estava uma bagunça" e aproveitando seu comentário disse que "tinha me desiludido com a capital federal justamente por tantos escândalos de corrupção e que isso pedi demissão para alçar novos vôos", o que fiz e tenho sido muito feliz por isso".

Espero que publique!

Leid Carvalho

Resposta do Blog: A matéria está integralmente mantida. A versão apresentada aqui difere da que foi objeto da conversa. O próprio senador Wellington Salgado já admitiu que Leid jamais prestou qualquer serviço ao gabinete, embora tenha ficado lotada lá por mais de três anos depois que ele assumiu.

Não perca. Daqui a pouco, no Blog, novidades sobre as conexões político-jornalístico-fantasmagóricas,

Estou à espera de um telefonema do jornalista Márcio Doti há cinco dias. Ele é o diretor de jornalismo da Rádio Itaitiaia, a maior rede mineira de emissoras de rádio. Doti não retorna as ligações. Até agora, o acúmulo de funções dos repórteres da empresa em Brasília não foi explicado. A rádio não divulgou um desmentido nem uma nota de esclarecimento. Os correspondentes da Itatiaia -- todos! -- na Capital da República têm dupla função. Trabalham na emissora e estão lotados em gabinetes dos senadores Eduardo Azeredo (PSDB), Hélio Costa (PMDB, atualmente no Ministério das Comunicações) e Wellington Salgado (idem, suplente de Hélio Costa).
Profissionais da própria emissora têm enviado e-mails dizendo que a situação é bem mais grave do que parece. Além de autorizar a jornada dupla, a Itatiaia também estimularia esse tipo de relação incestuosa com políticos mineiros.
Por que será que Márcio Doti não retorna minhas ligações ?
Escrito por Fábio Pannunzio Qui, 25 de Junho de 2009 13:00

Mulher do diretor de jornalismo da Itatiaia está na folha do Senado

A mulher do diretor de jornalismo da Rádio Itatiaia também está lotada no gabinete do senador Wellington Salgado (PMDB-MG). Sônia Maria Ferreira Doti, que mora em Belo Horizonte, foi "contratada" no dia primeiro de fevereiro de 2003 pelo então senador Hélio Costa. Permaneceu no "emprego" quando Wellington Salgado assumiu a vaga do titular, em julho de 2005. E lá está até hoje. O nome da "servidora", comissionada como assistente parlamentar, aparece no Portal da Transparência, que desde ontem lista todos os funcionários do Senado.
Ninguém a conhece no gabinete. Desde as 8 horas da manhã desta quinta-feira o Blog está tentando localizar a servidora. Na primeira ligação, um homem chamado Antônio disse que não havia nenhuma Sônia Maria naquele gabinete. Logo depois, uma das secretárias, ao ser indagada sobre uma assessora chamada Sônia Maria, passou o número de um telefone celular. O número, que começa com o prefixo 61-9968, pertence realmente a uma Sônia. Mas se trata de uma homônima de Sônia Maria Ferreira Doti. Já no fim da manhã três outras servidoras, que declararam conhecê-la, não souberam dizer a idade nem a cor do cabelo de Sônia Maria.
Tentamos um contato com o ministro Hélio Costa às 9 horas por meio da assessoria de imprensa. A assessora, que estava ao lado do ministro em um evento em São Paulo, ficou de retonar a ligação. Passadas mais de quatro horas isso ainda não aconteceu. O Blog também vem tentando contatar o jornalista Márcio Doti desde domingo passado. Márcio não retornou nenhuma das ligações. Somente na manhã de hoje foram disparados cinco telefonemas. Mais uma vez não houve resposta.
A nomeação da esposa do diretor de jornalismo da Itatiaia é a quarta a relacionar funcionários da maior rede de rádios de Minas Gerais a políticos daquele estado. A correspondente Aparecida Ferreira admitiu que presta serviço ao senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), informação confirmada pelo gabinete. A jornalista Leid Carvalho, que foi repórter política em Brasília até o ano passado, admitiu que foi lotada no gabinete do atual Ministro das Comunicações no Senado, embora não prestasse nenhum tipo de serviço. A repórter Gabriela Speziali, em Brasília há oito meses, também aparece na relação de funcionários de Wellington Salgado.
Segundo Leid Carvalho, a emissora foi que providenciou a indicação e cuidou dos trâmites burocráticos para a posse no cargo público. A revelação da ex-repórter fez emergir a suspeita de que há um esquema em que políticos complementam, com dinheiro público, salários miseráveis que a emissora paga a seus profissionais. A se confirmar, esse esquema gerou uma indústria de sinecuras que vincula inexoravelmente jornalistas políticos e parlamentares com mandato federal, comprometendo a informação que é levada ao público.
O Blog conseguiu contato com o senador Wellington Salgado agora há pouco. Ele confirmou que Sônia está lotada no gabinete, mas se recusou a dizer o local onde ela prestaria serviço. "Ela faz os nossos contatos políticos, a nossa agenda, a assessoria e faz bem. Contratei ela para a função que exercia. Ela já vinha (do tempo do Hélio Costa) e eu continuei", disse o parlamentar.
Wellington Salgado não quis, no entanto, revelar se sabia do vínculo de parentesco entre a "funcionária" e o chefe de jornalismo da cadeia mineira. "Não tem condições (...) procurar saber quem é o marido, quem é o amante, quem é a mulher, quem é o contato", afirmou. O senador também não quis responder qual a formação acadêmica ou profissional da "assessora".
Márcio Doti também foi assessor de imprensa da prefeitura de Nova Lima ao mesmo tempo em que dirigia o jornalismo da Itatiaia. Ao sair, deixou uma filha em sua vaga, que já não trabalha mais para a prefeitura do município.
Todas as pessoas citadas nesta reportagem foram exaustivamente procuradas pelo Blog. Está resguardado o direito de manifestação dos que até agora não foram localizados.

Fora do ar

É impressionante o silêncio da imprensa de Minas Gerais sobre as denúncias que vêm sendo apresentadas neste Blog. Nenhum veículo de comunicação, apesar da repercussão do assunto na internet, tocou no assunto. O público da Rádio Itatiaia permenece sem qualquer explicação.
No site da emissora, o destaque é para a quebra do recorde histórico de audiência. O último post diz que "a Rádio Itatiaia superou, mais uma vez, seus próprios recordes: dados referentes a maio de 2009, fornecidos pelo IBOPE, demonstram mais um crecimento sucessivo da audiência da emissora em Minas Gerais. Em maio de 2009, a Itatiaia atingiu a impressionante marca de 1.807.126 ouvintes!".
O sindicato dos jornalistas, a FENAJ, os veículos concorrentes, ninguém se manifesta. Será que em Minas Gerais sinecura para jornalistas é socialmente recomendável ?
Escrito por Fábio Pannunzio Sex, 26 de Junho de 2009 14:02

O papel de Hélio Costa no escândalo da Itatiaia.

Desde que postei o primeiro artigo sobre as sinecuras dos profissionais da Rádio Itatiaia, os leitores do Blog parassaram, mais do que justificadamente, a cobrar compostura dos jornalistas. Mas há um outro lado do problema que precisa ser observado. Trata-se da atuação do jornalista Hélio Calixto da Costa, o ex-repórter mais famoso da cadeia mineira. Ele já esteve na situação em que se encontram todos os seus colegas, agora constrangidos pela revelação de que o jabaculê foi institucionalizado naquela emissora -- "favor" que muitos devem a ele.
Hélio Calixto da Costa começou sua carreira em Barbacena. Seu primeiro emprego na capital do estado foi justamente na Rádio Itatiaia. A partir daí, a carreira decolou. Ficou famoso como correspondente da Globo nos Estados Unidos, onde permaneceu até a véspera da Assembléia Nacional Constituinte. Eleito deputado com mais de 115 mil votos, começou uma prodigiosa ascensão política. Tornou-se um político tão popular que obteve o mandato de senador com 3.569.376 votos em 2002. Foi alçado ao ministério do governo Lula há quase três anos. Virou um ministrão, o homem da TV digital -- muito embora seu antecessor tivesse deixado quase tudo pronto.
Ao longo desse caminho, entre a redação da Itatiaia e a Esplanada dos Ministérios, Hélio Costa abandonou o sobrenome do meio e perdeu completamente o respeito pela condição de jornalista, que está na gênese do político em que se transformou.
Imagino que Hélio Costa deve, um dia, ter pelo menos lido o Código de Ética e seguido seus preceitos. Mas observando deste ponto de sua história é difícil imaginar o jornalista Hélio Costa no ministro Hélio Costa. É fato inquestionável que o senador (ele era senador quando esse "sistema" começou) abrigou jornalistas em seu gabinete com o propósito de retroalimentar seu esquema político. Distribuiu o jabaculê, arquitetou as sinecuras que hoje são denunciadas -- e para as quais até agora não houve resposta.
Foi ele quem contratou a mulher do diretor de jornalismo da emissora, que deve ter sido seu contemporâneo, para um emprego fantasma em Brasília. Foi ele quem criou uma cota de vagas em seu gabinete para as correspondentes da emissora na Capital da República. E com certeza foi ele quem determinou ao suplente Wellington Salgado, que muitas vezes atua apenas como seu preposto, que mantivesse a fatasmagoria ativa.
Pois hoje Hélio Costa é ministro das Comunicações. É o homem que manda na radiodifusão brasileira. É o cara das concessões, do marco regulatório, é quem decide tudo o que é importante para os radiodifusores brasileiros. Em que condição ele se apresenta perante os outros radiodifusores, uma vez que privilegia com benesses públicas um dos concessionários em detrimento de todos os seus concorrentes?
Hélio Costa, o ministro, é um homem que tem uma profunda relação com o Reino de Hades em que Brasília se transformou. Dependurou fantasmas onde pôde. Do filho aos funcionários da sua própria emissora, passando pelo diretor de jornalismo da Itatiaia e pelos correspondentes da emissora. Mas nada disso parece ter qualquer importância no pragmático universo em que a política se transformou. "Subjetividades" como respeito ético, respeito ao bolso do contribuinte, respeito à dignidade dos ex-colegas de profissão não têm lugar nesse ambiente deletério.
Por essa metamorfose, que transformou um jornalista respeitável em um político tosco, Hélio Costa talvez encarne hoje o melhor protótipo do que um profissional da imprensa não pode ser. Sem medo de errar, sou capaz de apostar que o repórter Hélio Costa ficaria constrangido e ofendido com as "facilidades" que o ministro Hélio Costa anda distribuindo por aí.
Escrito por Fábio Pannunzio Sex, 26 de Junho de 2009 16:33

Presidente do Sindicato dos Jornalistas de MG condena práticas da Itatiaia.

O presidente do Sindicatos dos Jornalistas de Minas Gerais, Aloísio Morais Martins, repudiou hoje as práticas da Rádio Itatiaia que vêm sendo denunciadas por este Blog. Aloísio ainda não se reuniu com os demais diretores para discutir o problema. Mas, afirmou, na seção de comentários do Blog, que "pessoalmente - já que a questão ainda não foi discutida com a diretoria do Sindicato -, logicamente repudio a iniciativa tomada pela Rádio Itatiaia, com a conivência ou não do profissional de jornalismo".
Segundo ele, o respeito à ética é objeto de preocupação constante por parte do sindicato. "As coisas hoje estão melhores. No passado, chegamos a identificar um mesmo jornalista com nove empregos", disse ele ontem, por telefone. Ainda sobre a Itatiaia, Martins afirmou que "o caso é uma afronta à ética e ao bom jornalismo. Práticas como essa devem ser expostas e condenadas por todos para que se dê um fim a elas. Tenho certeza de que esta também é a posição dos demais membros da diretoria do Sindicato".
Escrito por Fábio Pannunzio Sáb, 04 de Julho de 2009 02:59

Jornalistas de MG: 15 dias de silêncio vergonhoso

Há exatos 15 dias este Blog iniciou uma série de reportagens que tinha como objetivo denunciar um esquema de aliciamento de jornalistas de Minas Gerias por políticos com mandato federal. O esquema, como ficou demonstrado, consistia na contratação, para empregos fantasmas, de correspondentes que atuam em veículos privados.
O Blog demonstrou que pelo menos três repórteres da Rádio Itatiaia, a maior cadeia de emissoras daquele estado, estão ou estiveram lotadas nos gabinentes dos senadores Hélio Costa (PMDB-MG, atual ministro das Comunicações), Wellington Salgado (PMDB-MG) e Eduardo Azeredo (PSDB-MG). E o que é mais grave: o diretor de jornalismo da emissora mantém a própria esposa pendurada numa sinecura no gabinente de Wellington Salgado desde 2003.
As reportagens tiveram uma enorme repercussão na internet. Foram reproduzidas em centenas de sites e geraram um fluxo de comentários espetacular. Todos os leitores condenaram a prática, que em outros tempos era conhecida pelo nome pejorativo de "jabaculê".
Fora do ambiente dos blogs, no entanto -- e a despeito de não ter havido nenhum desmentido --, o assunto foi simplesmente desconhecido. Os jornais de Minas não foram capazes de dar uma linha sequer sobre o assunto. E, pior, não houve uma manifestaçao sequer de desaprovação à conduta aética por parte das entidades que representam a categoria. O único sindicalista que expressou sua opinião, ainda que em caráter pessoal, foi o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais.
Ocorre que nem o site do sindicato mencionou o problema. O silêncio, incômodo para todos os jornalistas éticos e honestos de Minas e do restante do país, gerou uma onda de inconformismo. Num momento em que a credibilidade da imprensa, como instituição, está em xeque, o absenteísmo cheira a cumplicidade.
É lamentável que isso tenha acontecido. Fica cristalizada a suspeita de que há um processo de institucionalização do jabaculê, inaceitável para quem exerce a profissão com um mínimo de dignidade.
A maior parte dos jornalistas de Minas Gerais segue rigorosamente todos os postulados éticos que regem a profissão. São estes os maiores prejudicados pela indignação que não houve, pela censura que não veio e pela ausência dolosa de discussão sobre um problema que não afeta apenas jornalistas -- afeta principalmente o público leitor, que é o grande prejudicado por essa simbiose entre políticos de baixa qualidade e jornalistas oportunistas.
Felizmente muitos colegas se prontificaram a fornecer informações que confirmam a disseminação dessa prática espúria. Elas estão sendo rigorosamente checadas e, uma vez confirmadas, serão prontamente publicadas por este Blog.
Escrito por Fábio Pannunzio Qui, 09 de Julho de 2009 09:23

Milton Nascimento cita Kadu Viana e Pedro Morais



Veja, através do link abaixo, a entrevista em que Milton Nascimento cita sua admiração pelo trabalho de PEDRO MORAIS:




--
geraldo mota
http://geraldomotacoelho.blogspot.com/

quarta-feira, 22 de julho de 2009

"Dois Rios" : Grande Apresentação de Pereira da Viola e Wilson Dias

TEATRO DOM SILVÉRIO

07 DE AGOSTO DE 2009

Os violeiros, Pereira da Viola e Wilson Dias juntam seus talentos no espetáculo “Dois Rios”, o encontro das águas que cantam que será apresentado em Belo Horizonte, dia 07 de agosto, no Teatro Dom Silvério.

Em única apresentação na Capital Mineira, o show “Dois Rios” pode ser considerado uma metáfora do curso, do percurso daqueles rios e da origem, do crescimento e da trajetória dos dois artistas que, a rigor, tem as mesmas raízes, o mesmo berço.

Mais que um encontro entre os dois artistas, este show marca o encontro de duas famílias. Do lado de Pereira da Viola participam seus irmãos Dito Rodrigues (violão) e Zorra Rodrigues (Pandeiro e Caixa de Folia), além de seu sobrinho, filho de zorra, Pedrinho Rodrigues (Viola e Voz). Da parte de Wilson Dias, nada menos que seus dois filhos Wallace Gomes (Violão e Flauta) e Pedro Gomes (Baixo) que, com apenas 15 anos de idade mostra no palco muita competência e personalidade.

Além de suas raízes comuns, alimentadas pelas águas dos rios Jequitinhonha e Mucuri, os dois artistas trazem uma forte herança familiar marcada pela vivência rural e pela musicalidade ligada às manifestações tradicionais, tanto religiosas, quanto profanas. São, portanto, vozes semelhantes e ao mesmo tempo diferenciadas, temperadas, cada uma a seu modo, pelos ritmos e danças, pela sensibilidade e pela história de vida e artística de cada um deles.

Nasce desta bem sucedida mistura de elementos afros e indígenas uma sonoridade forte e inconfundível.

Não percam!!! Divulguem este show.

Os ingressos já estão à venda.

Picuá Produções Nilce Gomes(Produtora)

(31) 3427-9670 8721-7122 9113-1626

www.wilsondias.com.br

www.myspace.com

wilsondias

picuaproducoes@gmail.com

terça-feira, 21 de julho de 2009

MINISTRO SUPREMO

(Texto enviado pelo colaborador Engº Agrº DALTON MAGALHÃES)

"Supremo Ministro Joaquim Barbosa


Naquele 22 de abril de 2009, nenhum nobre navegante português ousaria nos "descobrir". Descobertos fomos pelos olhos e pela voz do primeiro negro que, com altivez e coragem, no topo da nau capitânia do judiciário, admoestou o pretenso comandante.


Naquele 22 de abril de 2009, não caberia um 7 de setembro em que o filho do rei, futuro imperador do país, daria gritos de independência às margens de um riacho qualquer; ali, ouvimos o brado da liberdade e da insubmissão da voz abafada do povo, silenciada por séculos pelos donos do poder, através de sucessivos crimes de lesa-cidadania: "Respeite, ministro! Vossa Excelência não tem condições de dar lição de moral em ninguém!"


Naquele 22 de abril de 2009, nenhuma princesa "bondosa" assinaria uma vaga lei que nos concedia liberdade, mas nos cassava a condição de cidadãos, proibindo-nos o voto, a escola de qualidade e o trabalho digno; presenciamos, sim, a abolição proclamada em nossas almas, 121 anos depois, pela voz corajosa de um Luís Gama redivivo, encarnando todos os quilombos massacrados e abrindo os portões de todas as senzalas: "Vossa Excelência não está nas ruas; está na mídia destruindo a credibilidade de nossa justiça!"


Naquele 22 de abril de 2009, nenhum marechal, de pijama, ousaria proclamar república nenhuma; o pacto de poder que condenou a maioria de nossa gente a ser um povo de segunda classe viu-se desmascarado pela indignação patriótica de um João Cândido reeditado, que fez a chibata girar em movimento contrário, açoitando o lombo dos que se acostumaram a bater, por séculos a fio: "Respeite, ministro! Vossa Excelência não está falando com seus capangas do Mato Grosso!"


Naquele dia, Ogum, Xangô e Oxóssi desceram os três num corpo só e reafirmaram a presença arquetípica da África dentro de nós. Todos os movimentos aparentemente derrotados dos nossos heróis anônimos puseram-se de pé, vitoriosos, mesmo que não tivessem vencido uma só batalha. A Revolta dos Búzios, a Revolução dos Malês, o Quilombo dos Palmares, todos, reencenaram seus teatros de operação e puderam, séculos depois, derrotar simbolicamente o inimigo.


Naquele dia, saíram às ruas todas as escolas de samba, de jongo, todos os blocos afros; bateram os candomblés e as giras de umbanda, a procissão da Boa Morte, o Bembé do Mercado de Santo Amaro; brilharam os pequenos olhos da criança negra recém-nascida ao descortinar a luz azul de um futuro melhor.


Naquele dia, materializando todos os nossos sonhos e desejos secularmente negados, Vossa Excelência deixou de ser apenas um ministro do Supremo Tribunal Federal para tornar-se o supremo ministro de todos os brasileiros.

Jorge Portugal

Baiano de Santo Amaro da Purificação, educador, poeta,
membro do Cons. Nacional de Política Cultural


secretaria@...
(Transcrito da página de Opinião do jornal A Tarde, da Bahia, de 28.4.09)"

CONFIRA AQUI OS LIVROS DE MINHA BIBLIOTECA FÍSICA

Cursos Online é Cursos 24 Horas

LIVROS RECOMENDADOS

  • ANÁLISES DE CONJUNTURA: Globalização e o Segundo Governo FHC - (José Eustáquio Diniz Alves /Fábio Faversani)
  • ARTE SACRA - BERÇO DA ARTE BRASILEIRA (EDUARDO ETZEL)
  • AS FORÇAS MORAIS - (José Ingenieros)
  • CONTOS - (Voltaire)
  • DICIONÁRIO DE FANADÊS - Carlos Mota
  • DOM QUIXOTE DE LA MANCHA - (Cervantes)
  • ESPLÊNDIDOS FRUTOS DE UMA BANDEIRA VENTUROSA - (Demósthenes César Jr./ Waldemar Cesar Santos)
  • EU E MARILYN MONROE & O OUTRO- CARLOS MOTA
  • FRAGMETOS - (Glac Coura)
  • HISTÓRIAS DA TERRA MINEIRA - (Prof. Carlos Góes)
  • http://www.strategosaristides.com/2010/12/cronicas-do-mato.html
  • IDAS E VINDAS - (Rosarinha Coelho)
  • MOSÁICO - (Glac Coura)
  • O CAMINHANTE - (José Transfiguração Figueirêdo)
  • O DIA EM QUE O CAPETA DESCEU NA CIDADE DE MINAS NOVAS - (João Grilo do Meio do Fanado)
  • O MITO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - (Celso Furtado)
  • O NOME DA ROSA - (Umberto Eco)
  • O PRÍNCIPE - (Maquiavel)
  • O SEGREDO É SER FELIZ - ROBERTO SHINYASHIKI

ORIGEM DOS ACESSOS PELO MUNDO

Arquivo do blog